Textos, crónicas e opiniões

3 Abril, 2018

Mariana Moreira Baptista

Mariana Moreira Baptista Nasceu a de 3 dezembro de 1999, tem 18 anos é natural do Concelho de Lisboa, Freguesia de Santa Maria dos Olivais. Viveu em Massamá e, há cerca de 10, anos foi viver para Fernão Ferro, na margem sul.  Concluiu a instrução primária da EB1 junto à […]
31 Março, 2018

Pedro IV e a Praça do Rossio: Brutalidade, Paixão, Sexo, Revolução e Liberalismo

    “Tenho a intenção que eu e o mano Miguel havemos de ser os últimos malcriados da família Bragança”. Pedro IV, Rei de Portugal   Com a cidade de Lisboa cada vez mais frequentada por turistas, muitos passam pela Praça D. Pedro IV (mais conhecida como Praça do Rossio) […]
29 Março, 2018

Ó mar . . .

Ó mar . . .   Ó mar, meu coração de navegante Partiu um dia em busca d’aventura, Sem destino marcado, quase errante, Navegando ao acaso…, à  ventura.     Sonhando pois, com terras bem distantes, Sulcar mares deste mundo, ir à procura Desse destino, algures inebriante, De diferentes gentes…, […]
29 Março, 2018

Aspectos da colonização do Brasil nos primeiros séculos

  A partir de meados do século XVI, a colonização portuguesa do Brasil caracteriza-se pelo domínio quase exclusivo da família rural ou semi-rural. Domínio que só o da Igreja faz sombra, principalmente através da actividade dos padres da Companhia de Jesus. A família, não o indivíduo nem tão-pouco o Estado […]
29 Março, 2018

O homem que escrevia cartas a si próprio – IX

Havia agora dias assim e cada vez mais era levado a reflectir na diferença dos dias de hoje. Um novo e inusitado alento e vontade de conhecer novas coisas, novos caminhos e inconfessáveis e desconhecidas emoções que se lhe desenhavam no espírito aberto que agora sentia habitar em si.   […]
29 Março, 2018

A  REVOLUÇÃO  RUSSA  E  A  CULTURA  OCIDENTAL

A  REVOLUÇÃO  RUSSA  E  A  CULTURA  OCIDENTAL Por motivos que não vêm ao caso, veio-me à memória o único encontro que tive, no Rio de Janeiro, em meados dos anos setenta, com o conhecido intelectual e jornalista brasileiro Paulo Francis (PF). Um homem de causas públicas que fez o caminho […]
29 Março, 2018

Editorial – Boletim 247

Ao completarmos 1 ano de mandato no desempenho de cargos a que nos candidatámos e que mereceram os votos dos associados que nos elegeram, não em jeito de balanço, mas repensando o que aconteceu, ressalta o sentimento de que por devoção, não por obrigação, procurámos, da melhor forma que sabemos […]
6 Fevereiro, 2017

Café

Telefono-lhe poucas vezes. Menos do que devia. Telefono-lhe sempre que preciso e sempre encontro o mesmo apoio. Tenho consciência disso e pesa-me a consciência. Cada telefonema prolonga-se por longos minutos – talvez horas, nem sei – numa tentativa de compensar as conversas que não temos tido. Acabamos a conversa sempre […]
6 Fevereiro, 2017

Dignidade Humana

Acabo de chegar da Tailândia primeiro país do extremo oriente que tive oportunidade de visitar. É um Pais de frenesim como me parecem ser todos os países asiáticos, com um trânsito caótico, milhares de motos que arrancam desenfreadas ao abrir do verde do semáforo. Todos numa louca corrida na procura […]
6 Fevereiro, 2017

O Mundo Mudou e os Escritores Também Mudaram

Em 1936, Samuel Beckett, 30 anos, escreveu o seu primeiro livro, “Murphy”. Fê-lo em Londres, com toda a sorte de aflições psicológicas, crises de pânico e taquicardia, longe da sua terra natal (a Irlanda), sem emprego, em conflito com a mãe a tentar força-lo a abandonar a escrita e procurar […]
6 Fevereiro, 2017

Os Antónios do Instituto

Consultado o “Dicionário de Nomes Próprios”, de Orlando Neves e o “O livro dos nomes”, de Regina Obata, podemos concluir que António é um dos nomes mais populares da antroponímia portuguesa. A sua origem permanece obscura, não se sabendo ao certo quem foi o primeiro António, se bem que alguns […]
6 Fevereiro, 2017

Pilão, a Minha Casa

Os anos de 1973 e de 1974 foram uma verdadeira “overdose”. Foram anos de transição, onde tudo aconteceu, e foram o epílogo dos anos de ansiedade, cinzentos e tristes, do período da Guerra Colonial. Em 1973, quando nada o fazia prever, o meu pai com quarenta e quatro anos, e […]
X