Page 7 - Anexo Boletim numero 258 da APE
P. 7

 EVOCAÇõES
 um percalço: uma apendicite. Quase implicou a desistência, mas a Mariana é uma pessoa determinada, resiliente, e não deitaria a toalha ao chão tão facilmente. Ultrapassa as dificuldades e, na data marcada, recebe autorização para embarcar.
No dia em que foi publicada a lista final dos candidatos aprovados para integrarem o Corpo de Alunos da Escola Naval, como cadetes, não podia estar mais contente. O seu sonho realizou-se: entrou na Escola Naval. Era tudo o que queria. Acreditou, sem medos, foi resiliente e venceu todos os desafios.
Enfrentou sem temor as agruras do 1o ano, a exigente adaptação e o processo de aculturação às tradições Marinheiras centenárias. Não tombou, nem militarmente nem academicamente. Soube ser humilde e aceitar sem hesitação que havia passado à velocidade da luz de CB do IPE a simples Manceba da Escola Naval, do Céu ao Purgatório num instante. Terminou o ano letivo realizando a sua primeira Viagem de Instrução, a bordo do veleiro NE Zarco, onde ficou patente a sua boa adaptação à grande aspereza da vida do MAR e onde experimentou mais à séria o travo do Sal e do Fel em simultâneo na sua boca.
Agora enfrenta o 2o ano, com estatuto de Propedêutica, e tem o mundo à sua espera. Corre atrás dos sonhos em que acredita ... e o sonho comanda a vida.
Temos muito orgulho em ti Mariana. Muitos Parabéns. “Querer é Poder”.
Cadete da Marinha Mariana Baptista
*Pai da Antiga Aluna (20121521) Maria Inês Pereira e das Alunas (20190294 Maria Leonor Pereira e 20200413 Maria do Carmo Pereira)
   Boletim da Associação dos Pupilos do Exército • julho a setembro | 7


























































































   5   6   7   8   9